31 de agosto de 2015

CIÚME

Ciúme pode ser considerado uma aquisição no desenvolvimento da criança e indica a capacidade de AMAR!
A criança com ciúmes está em estado de conflito agudo, experimenta concomitantemente amor e ódio e sente-se péssima. Começa a separar a fantasia da realidade.
Em algumas semanas o ciúme estabiliza-se com experiência de amor complicado com a idéia de destruição.
Aos poucos se desenvolve o senso de responsabilidade.
Ciúme pode desenvolver-se no sentido de uma rivalidade sadia.
Os adultos de real temperamento ciumento são aqueles que tiveram motivo para ciúmes mas não puderam extravasar sua raiva e agressividade no momento certo e em um ambiente compreensivo e afetuoso

O que fazer?

1- Empatia pelo que a criança está sentindo

2- Dar atenção

3- Compreender a atitude e mostrar que AMA.

O amor é a chave do sucesso!!!

Dicas da Dra Geisa, pediatra do CBMDF

BIRRA

A birra significa chamar a atenção ou protesto.

Porque acontece?

  • Problemas de aprendizado quanto ao comportamento social
  • Quer ser independente, testa regras e limites impostos pelos pais
  • Não conhece as palavras para expressar seus sentimentos e necessidades e NÃO ENTENDE OS PAIS
O que fazer?

Os pais devem manter a calma, não gritar, não tentar acamar, nunca espancar, não oferecer recompensar, não voltar atrás e não puni-la por isso.

Como prevenir?


  • Não podemos evitar, mas podemos diminuir as crises
  • Economizar o "não pode". 
  • Estabelecer regras claras e limites definidos
  • Ser delicado mas firme
  • Ser consistente em relação às regras e dizer "não"sem culpa
  • Quando houver quebra de uma regra estabelecida reagir sempre do mesmo modo
  • Colocar objetos frágeis ou caros longe do alcance das crianças
  • Oferecer atividades alternativas
  • Não espere que a criança seja perfeita
  • Mantenha o bom humor.

Dicas da Dra Geisa, pediatra do CBMDF

Como fazer seu filho cumprimentar os mais velhos quando chega em um local?

As regras da boa convivência devem ser ensinadas aos pequenos. E se não começarmos a ensinar nossos filhos desde pequenos, corremos o risco de criarmos uma série de indivíduos que só sabem viver sob as próprias regras – sem respeitar o espaço do outro.
Mais do que isso: mostrar a uma criança que um cumprimento faz um avô, ou um tio feliz (não estamos dizendo da pessoa que ela nunca viu na vida – essa, obviamente, nenhuma mãe faz questão de que o filho abrace), é ensinar duas coisas: a primeira – respeito; a segunda: empatia, que é a capacidade de se colocar no lugar do outro e se identificar com suas emoções e sentimentos.
Acredito que, dessa forma, estamos criando filhos mais preparados para um mundo melhor para todos.
Aqui em casa venho sofrendo com o descaso da Isabela e do Lucas ao encontrar pessoas de nossa família ou de nossa convivência. 
Isabela diz que não gosta de dar beijo, principalmente se for alguém que ela não conhece (não basta a mãe conhecer!!!! Ela tem que conhecer) E Lucas está nos terrible four kkkk....nunca saiu dos terrible two..three... Parece que agora....está melhorando.
Mas eles não gostam de abraçar nem beijar estranhos, mesmo que sejam da família.
Li essa dica interessante, no blog mil dicas de mãe que tem surtido efeito por aqui – por isso quis compartilhá-la com vocês. Ao invés de falar que ela dê um abraço nos familiares, deixe que eles se comportem como sempre (ou seja, esquivando-se do cumprimento), sem fazer qualquer comentário. Alguns minutos depoisquando ninguém mais espera que eles agissem educadamente (ou seja, quando eles não estam mais chamando a atenção das pessoas com esse comportamento) chame de lado sem que os outros percebam e explique, de maneira simples e direta, que crianças educadas param para cumprimentar os mais velhos quando chegam a um determinado local (e que, se ele queria ser educada, deveria fazer exatamente isso). E mais: que as pessoas ficaram muito felizes com sua atitude.Você não gosta quando ganha um presente e fica feliz? O adulto também fica feliz quando ganha um abraço e um beijo.
O segredo parece ser não se estressar, falar com a pequeno separadamente e esperar um pouco para agir, para que o diálogo não vire mais um braço de força.

Castigo é efetivo se for feito corretamente

Cada criança tem uma personalidade diferente e por isso você deve avaliar e perceber como seu filho reage. Nesse estudo mostra qual a melhor forma de disciplina para cada tipo de criança.

Estudos mostram qual a melhor forma de disciplina para cada tipo de criança

Nesse estudo, da Academia Americana de Psicologia foram abordados temas como castigo, punição e como agir corretamente.
Ficamos sem saber se estamos educando ou deseducando, ainda mais com a lei da palmada, que a proíbe  no Brasil.

Aqui em casa tenho dois filhos enérgicos. Na maioria das vezes só conversar e explicar sempre resolveu, a não ser na época do "terrible two". Tenho um cantinho na casa para o castigo, eles ficam lá sentados pelos minutos = a idade. 2 anos=2 minutos, 3 anos=3 minutos.
Com a Isabela (7) sempre que a coloquei lá ela ficou, depois pensou, as vezes gritando, mas depois entendeu. Lucas (4) já tive que segurar ele no local durante todo o tempo, porque ele gosta de me desafiar. Estamos passando bem por essa fase, tenho conversado muito, e eventualmente vai para o castigo. Mas ele passou uma fase de descontrole onde não obedecia em nada que eu falava e só fazia o que queria. Dei um basta nisso com muita conversa, cantinho do castigo e a tabela das bolas pretas e brancas durante as férias. Eles queriam ganhar uma escova de dente elétrica e eu disse que se não tivessem nenhuma bola preta (de mau comportamento/desobedecer) eles ganhariam a escova. E não é que deu certo e eles ganharam a escova.....e passaram as férias como uns anjinhos. Fico na dúvida se isso é promessa de prêmio, mas não vejo como isso porque eles que já queriam a escova e eu não ia dar. Então foi merecimento deles ganhar a escova, se esforçaram para isso. Só sei que aqui em casa..... as bolas pretas e brancas que aprendi com minha mãe, é o que salva quando as coisas estão descontroladas.

No artigo diz:

– A promessa de um prêmio ou um presente foi a maneira mais eficaz para a melhora do comportamento imediato da criança, independentemente de sua personalidade. Entretanto, as mães de crianças que batiam ou que eram desafiadoras, e que utilizavam frequentemente desse artifício para fazer com que os filhos se comportassem melhor, revelaram que, depois de alguns meses, os pequenos não só deixaram de cooperar como passaram a se comportar de forma muito pior.
– Crianças que reagiam a uma situação reclamando ou chorando, ou apresentando uma forma leve de mau comportamento, normalmente respondiam bem à argumentação dos pais – ou seja, com elas era possível conversar e apresentar motivos para que ela deixasse de se comportar de determinada maneira. Por outro lado, punições como o cantinho do castigo, a perda de algo que gostassem ou a proibição de um hábito (ver televisão por um período, por exemplo) não parecem funcionar bem.
– Os pequenos que respondiam às situações de uma forma mais agressiva, batendo ou desafiando os pais, em geral não modificavam seu comportamento com a tentativa de conversa, como acontecia com as crianças que apenas reclamavam ou choravam. Para elas,em geral o mau comportamento só cedia quando eram punidas – seja aguardando alguns minutos no cantinho do castigo ou perdendo temporariamente alguma coisa de seu interesse.
– Pensando em modificação do comportamento a longo prazo, o hábito de apresentar razões à criança para que ela mude sua forma de agir parece ter uma boa influência em todos os pequeninos, mesmo naqueles que de imediato precisavam de algum tipo de punição para deixar de bater ou desafiar (vejam aqui a importância de explicar sempre, mesmo que pareça que estamos falando com as paredes!).
– O uso do cantinho do castigo (com espera de tempo) como método de disciplina pode não surtir o efeito desejado se aplicado de forma incorreta. Ao invés de colocar a criança ali sem uma explicação prévia, depois que ela se comportou mal, o ideal é preveni-la antes, dizendo que se ela bater no amiguinho ou desafiar uma ordem dada terá que aguardar alguns minutos no local por não ter se comportado bem.
– Em muitas situações, dar uma segunda chance à criança, para que ela se comporte da maneira combinada, mostrou-se uma boa solução. Primeiro ela leva uma advertência e lhe é concedida uma segunda tentativa de fazer o que é certo.
Enfim, pensando no comportamento de Catarina ao longo do tempo (e entendendo também que uma mesma criança pode passar por fases – às vezes mais desafiadoras, outras mais manhosas), essas conclusões me fizeram total sentido. Informações bacanas para se analisar, pois podem ajudar a lidar com os filhotes nos momentos de tensão!

Fonte: http://www.mildicasdemae.com.br/2015/08/estudos-mostram-qual-a-melhor-forma-de-disciplina-para-cada-tipo-de-crianca.html

16 de agosto de 2015

Cocada ao Forno

Ingredientes:
3 ovos
2 colheres de manteiga
1 lata de leite condensado 
1 coco grande fresco ralado

Modo de fazer:
Bater tudo no liquidificador e levar ao forno para assar até dourar

Linguiça com Ovos

Ingredientes:
1 pacote de linguiça de pernil perdigão 1 Kilo 
1 cebola
Pimentão Verde, Vermelho e Amarelo
4 ovos batidos no garfo 

Modo de preparo:
Retirar a carne da linguiça cortando as pontas e misturar como se fosse uma carne moída
Colocar em panela de fundo grosso para fritar na sua própria gordura
Quando estiver dourado acrescentar a cebola ralada e os pimentões.
Quando tudo estiver bem douradinho acrescentar os ovos batidos (clara e gema) e misturar levemente para finalizar o cozimento do ovo.
Servir com arroz.
Porção para 4 pessoas
Receita da Graça Palacio John






Arroz Carreteiro

Ingredientes 
1/5 Kilo de Carne cortada em cubos (patinho ou charque) temperada na véspera com sal e alho
2 Linguiças tipo Paio
2 cebolas médias raladas
1/2 xícara de chá de óleo
salsa e cebolinha para finalizar


Modo de preparo:
Colocar a carne em cubos na panela para fritar no óleo, deixar ela fritar até ficar dourada, acrescentar a linguiça cortada em pequenos cubos.
Se fizer com charque afervente a carne trocando a água uma vez e deixar de molho por 5 horas.
Colocar a água para ferver. Acrescente sal a gosto se for preciso, mas a carne salgada na véspera já dá o sal do arroz.
Quando a carne estiver bem dourada acrescentar a cebola ralada, e misturar levemente. Não precisa dourar a cebola.
Acrescentar o arroz sem lavar, 1 xícara e meia. Se precisar de mais um pouco de óleo, colocar nessa hora. Depende se a carne usada tem gordura ou não. 
A mistura fica levemente brilhando. 
Misturar tudo e fritar um pouco o arroz. Adicione a água fervendo. Deixar dois dedos de água para cima do arroz, se precisar colocar mais água depois. No carreteiro o arroz fica molhadinho.
Deixar a tampa da panela semi-aberta.
Cozinhe em fogo baixo
Acrescente salsinha e cebolinha por cima
5 pessoas
Receita de Graça Palacio John








Salada Quente

Ingredientes:
200g de presunto picado/ 1 xícara 
5 ovos cozidos picados
1 lt de creme de leite
1/2 Kilo de batata inglesa cortada em cubos
1 xícara de queijo cortado em cubos
queijo parmesão a gosto

Modo de fazer:
Coloca-se a batata para cozinhar, crua cortada em cubos com sal. Acrescenta-se os ovos inteiros lavados para cozinhar junto na mesma panela.
Após o cozimento da batata (al dente) mistura-se em uma tijela a batata, os ovos cortados em cubos, o creme de leite e o presunto picado. Mexe-se devagar para não quebrar a batata.
Unta-se um pirex com margarina ou manteiga e coloca toda a mistura.
Salpicar o queijo ralado e levar ao forno 250 graus até gratinar
Sirva quente.
Serve 6 pessoas
Receita de Graça Palacio John




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...